O adolescente não deve ingerir bebidas alcoólicas porque seu sistema nervoso central está em desenvolvimento, suas vias neuronais são mais suscetíveis e, sendo assim, o uso de álcool pode comprometer várias funções. Portanto, o uso de álcool na adolescência pode trazer alterações e problemas de ordem emocional, cognitiva, social e fisiológica.

Além de problemas diversos, a adolescência apresenta características que tornam o álcool uma substância mais perigosa do que para a maioria dos adultos.

São elas:

Atitude reivindicatória – esta característica pode levar o adolescente a infringir regras, entre elas não só consumir bebidas alcoólicas, mas ir além e beber em excesso.

A busca de independência, a separação dos pais e a busca de autonomia também são características que podem fazer com que o adolescente consuma álcool como uma forma de pertencimento ao mundo adulto, ou seja, algo como: “Não sou mais criança, cresci, sou adulto, posso fazer coisas de adultos, beber por exemplo”.

A evolução da sexualidade e busca de parceiros pode também favorecer o uso de álcool como uma substância que auxilia o adolescente a vencer a timidez das primeiras tentativas de aproximação sexual.

Em comparação com os adultos, os adolescentes ficam bêbados muito mais rapidamente porque têm menor massa corporal, menor tolerância ao álcool e inexperiência em relação a seus efeitos, o que os torna incapazes de controlar a quantidade, dificultando o controle da quantidade consumida.

Por fim, os adolescentes, são geralmente muito vulneráveis à pressão do grupo, característica que dificulta sua recusa aos convites para beber.